Quantos Aspectos! Simplificando a Quantidade de Aspectos

Durante uma partida de Fate, íamos jogando e tanto os jogadores como eu anotávamos algumas ideias. De repente, olhei para a mesa e pensei “quantos aspectos!”. Além dos aspectos dos personagens, havia os da cidade, os da cena, às pistas, os aspectos criados pelos personagens usando a manobra criar vantagem (em geral, esses são os melhores), as consequências e os impulsos.

É realmente preciso tantos aspectos? Se sim, como administrar tudo? Se não, como saber quais devem ser usados e quais serão descartados?

Na verdade não há uma formula certa ou errada. Existe o que é bom ou ruim para o seu grupo. Se você é o narrador do jogo, deve saber como é complicado se encontrar no meio de tantos aspectos que podem ser invocados — e em especial, forçados. O segredo para lidar bem com essa questão é: isso é realmente importante para se tornar um aspecto?

Sempre que algo acontecer em jogo, e você não souber muito bem como lidar com a situação, crie um aspecto. Se tiver dificuldade para criar aspecto, veja esse artigo sobre como simplificar aspectos. Além da planilha de personagem, entregue um bloco de anotações ou algumas folhas em branco — em geral, uma ou várias folhas de A4 cortadas ao meio — para os jogadores anotarem os aspectos temporários ligados aos seus personagens (aspectos de situação e impulsos). No centro da mesa, deixe umas folhas pequenas onde possa anotar aspectos de situação, impulsos ou consequências dos PdNs e da cena de forma ágil e que fique visível a todos. Esse é o primeiro passo para organizar onde deve ficar os respectivos aspectos; cada um com seu papel anotando os seus, independentemente do tipo.

Agora é só jogar. À medida que as cenas forem acontecendo, anote o que é importante. Evite parar o jogo ou reduzir o ritmo para fazer essas anotações longas. Tente resumir o aspecto em uma palavra ou duas, depois, se for preciso (e apenas se for preciso), acrescente mais palavras. Se algumas caixas pesadas caem sobre um dos personagens do jogador, não peça para ele escrever o aspecto Preso sob uma pilha de caixas. Provavelmente ele estará envolvido com a cena; empolgado com a ação. Escreva apenas Preso e faça o mesmo para outros aspectos que surgirem durante a partida. Selecione a palavra mais importante da situação (ou seja, do aspecto em si) e use apenas ela. O próprio contexto do jogo deixará o resto subentendido.

Depois de resumir os aspectos para agilizar, a próxima dica é: pare de se preocupar. Jogue despretensiosamente. Não pare a narração ou interrompa o raciocínio para ver se a cena ou algum personagem possui algum aspecto relevante. Confie nos seus jogadores. Eles têm boas razões para invocar (receber vantagens) e forçar (receber pontos de destino) seus próprios aspectos. Eles vão querer fazer isso. E em geral são criativos; dê-lhes essa oportunidade. E se eles sentirem dificuldade, siga a mesma dica: simplifique.

E se, em algum momento, você perceber que passou batido por algum aspecto, talvez algum bem importante, perdendo a chance de invocar ou forçar, não se preocupe; isso é a prova de que a mesa está divertida. Se ele não fizer mais sentido, descarte-o; se ainda pode se aplicar de alguma forma, aplique-o da forma apropriada quando houver oportunidade. Mas acima de tudo: não deixe que a preocupação com os aspectos ofusque o objetivo do jogo.

Bom jogo e +4 a todos.

Facebook Comments

Escritor, ilustrador e editor. Criou o Conexão Fate em 2015. Editor e Designer Editorial para a New Order Editora. Editor do Fate Básico e Fate Acelerado. Fundou a Pluma Editora. Criador de Gatos Espaciais. Vive com seus gatos, sua esposa Manu, seus livros infinitos e um coração de contador de histórias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *