Repensando aspectos iniciais

Como todos aqui sabem, o FATE/FAE oferece uma opção muito interessante para se montar um personagem, definindo primeiro o seu conceito, depois sua dificuldade e por fim demais aspectos que vão influenciar em seu modo de jogo, que podem totalizar de três a cinco aspectos.

Em Drak-Mauter decidimos por explorar novas possibilidades e formas de construção da personalidade de seu personagem, chamados aqui de Personas. Logo no primeiro capítulo já introduzimos dois modos, um mais simples e mais rápido, voltado para jogos mundanos no cenário, fantasia medieval típica, onde os jogadores interpretam Psiques. O segundo modo é para se jogar com Devils, seres que já compreendem a existência de acordo com os seus Princípios e seu papel na Realidade Compartilhada.

Jogando com Psiques

Neste modo os jogadores terão que escolher, em ordem, três aspectos. Estes estão relacionados com a pirâmide da personalidade. Todos sabem que uma Pirâmide, em sua base, possui quatro lados e que, a medida que avançamos em direção ao seu cume, esses lados vão ficando cada vez mais estreitos até formarem a ponta da Pirâmide. Esse ápice é a Personalidade, e os quatro lados, que servem de base e organizam a Personalidade, são as quatro variáveis que a determinam. Portanto, para saber como será o cume de nossa Pirâmide, primeiro devemos determinar como será a sua base.

O primeiro aspecto a ser determinado é a variável biológica, no qual se deve escolher uma entre as 27 raças de Personas e pensar em seu aspecto que se relaciona com esta raça, como o modo que ela se organiza internamente, seus costumes, limitações, características físicas etc. Podemos citar como exemplo um Ractin que abandonou o seu povo para estudar um meio mágico e poderoso de destruir os Yuan-tis, a qualquer custo. Ou então um nômade que possui um desejo ardente de viver em uma grande cidade, apesar dos riscos.

O segundo aspecto é a variável social, esta está ligada a como a sua Persona lida com algum elemento específico de uma entre as 8 complexas sociedades do cenário, podendo estar de acordo ou contra os dogmas e hábitos daquela região. Esta é uma grande oportunidade para se criar aspectos significativos, como um pretoriano seguidor de Alana, mas está infeliz com sua deusa e está para se transformar em um simpatizante de Aldor. É possível também que um ogro nascido em Tanúria não identifique os dragões-anciões como seres divinos e que mereçam respeito, sendo um considerado um herege entre os seus.

O terceiro e último aspecto é a variável histórica, este já diz mais sobre como o Persona chegou até onde ele está e do que ele está em busca. Este é o aspecto que mais se assemelha ao conceito em Fate. Definindo sua história será possível moldar a identidade e estabelecer os seus limites. Aqui podemos citar os exemplos mais comuns, tal qual yuan-ti mercador ilegal dos mares, membro honorário da cavalaria de Ranir ou o melhor caçador de sua tribo orc.

Jogando com Devils

Aqui os aspectos se tornam um pouco mais complexos de serem definidos, pois os Devils são seres que evoluíram de meras psiques para algo que está em contato direto com os Princípios, que podem moldar a Realidade Compartilhada com suas vontades. Serão definidos quatro aspectos que são desmembramentos do topo da pirâmide da personalidade, a variável psicológica. Estes são o pensar, sentir, perceber intuir. Deixarei aqui os trechos do livro que detalham esta parte.

Quanto ao pensar: veja quais são as leis, costumes e hábitos de seu povo, quais são as áreas de maior estudo e avanço tecnológico que elas dominam; analise sua história pessoal e anote suas idéias, pensamentos e planos mais importantes. Essas informações irão te ajudar a compor a personalidade de seu personagem, pois representam o que o seu personagem Pensa.

Sendo um Faenar, você nunca se indagou o motivo de Talius nunca ter ensinado magia divina ao seu povo? Como um Yuan-ti nascido e criado em Tum-Mazil, você questiona o escravizamentos dos Ractins?

Quanto ao sentir: leia sobre as reações emocionais mais comuns a sua raça; veja também quais são os valores morais, éticos e religiosos do local onde foi criado seu personagem; analise sua história: quais foram suas paixões, seus desafetos, seus inimigos, seus desejos. Questionar isso irá compor o que o seu personagem Sente.

Após o abandono de Alana, um humano de Ardonal ainda acredita no amor da deusa pelos seus súditos? Ter sido expulso do Círculo de Turom deixou marcas em você, algum desejo de vingança ou remorso contra os feiticeiros?

Quanto a perceber: leia as descrições de sua raça e faça anotações sobre suas características físicas mais importantes e de maior valor a elas. Explorar suas limitações e qualidades físicas o ajudarão bastante; leia sobre o local onde você viveu e anote as produções culturais mais marcantes, como arquitetura de prédios, obras de arte, confecção de armas, armaduras, carroças, etc, tudo isso fornece informações importantes sobre o espaço que essa sociedade ocupa e fornecem dicas para o estilo de vida que o personagem leva; de sua história pessoal, extraia sempre os pontos mais marcantes, aqueles momentos mais críticos e tente saber tudo sobre eles. Aqui também seria muito útil descrever como o personagem se vê diante dos outros, o modo como ele acha que se porta frente à seus amigos. Isso irá compor o que o seu personagem Percebe.

Vendo o respeito e a importância que dão ao Kadar, você é um orc que almeja treinar e se tornar um Kadar? O fato de você ter nascido um anão da família Kerul o faz menosprezar as cidades e equipamentos de outras raças?

Zoutarem Stark
Zoutarem Stark, líder da revolução do clã dos Starks

Quanto ao intuir: este é o trabalho mais difícil. A intuição é baseada num conhecimento que não foi pensado, numa emoção que não foi sentida e numa informação que não foi percebida, mas que está ali. Ela é fruto da capacidade criativa e da imaginação livre desse personagem. Desse modo, ele pode não se importar com as decisões e os caminhos que tomou no passado, querendo criar algo novo e interessante para o seu futuro. Ler sobre sua história de vida e conhecer sobre os valores e regras da sociedade que você viveu servem como um ponto de partida para saber o que o seu personagem NÃO deve mais fazer!

Você é um anão da famílida Daren-Utor que possui um faro especial para mercadorias roubadas? Sendo um drakoniano do clã Bakiro você não se culpa por não ter desconfiado da traição dos Starks?

Deixe nos comentários o que você achou desta sugestão de montar o seu personagem em FATE/FAE. Quais vantagens e desvantagens ele nos traz, o que conseguimos abarcar aqui e o que foi deixado de lado. Sua opinião é importante pra gente!

Assinatura mensal da Revista Conexão Fate, digital em PDF, EPUB e MOBI e impressa sob demanda! Garanta a sua!

conexao_fate_novo_layout-04

Lucas Peixoto

Habitante da Serra da Mantiqueira, é um dos escritores do cenário Drak-Mauter. Apaixonado por fantasias e ficções, principalmente no cinema e na literatura. Nutre um carinho especial por Minas Gerais e seu povo maravilhoso!

Deixe uma resposta